Laboratório São Paulo

Você está em: Página Inicial | Notícia


13 de julho de 2017

Informativo sobre o exame de zika vírus



Com intuito de otimizar o diagnóstico e proporcionar ao paciente segurança e agilidade no tratamento, passamos a realizar em nosso centro técnico o exame de ZIKA VÍRUS por método sorológico. Desta forma, o acesso médico ao resultado poderá ocorrer no mesmo dia da coleta.

O QUE É ZIKA VÍRUS?

O Zika Vírus é um vírus RNA de fita simples da família Flaviviridaes, gênero Flavivirus. É transmitido aos seres humanos através da picada de mosquitos infectados, principalmente o Aedes aegypti nas regiões tropicais e subtropicais. Este é o mesmo mosquito que transmite a Dengue, Febre Amarela e o vírus da Chikungunya.

A infecção pelo vírus Zika provoca, geralmente, uma doença febril com erupções maculopapular podendo durar até uma semana,  período de incubação de 3-12 dias. No entanto, a crescente preocupação reportada em relatórios de vários países, incluindo o Brasil, é que a infecção pelo vírus Zika pode estar ligada a microcefalia fetal e neonatal e complicações neurológicas graves, como a síndrome de Guillian-Barré. Além disso, a doença do Zika vírus é agora considerada uma doença infecciosa emergente. Em maio de 2015, o primeiro caso de infecção foi relatado no Brasil, e provavelmente, vai continuar a se espalhar para novas áreas. Isso levou a Organização Mundial de Saúde a declarar uma emergência de saúde pública de importância internacional (PHEIC) em fevereiro de 2016. Até o momento, não há nenhuma profilaxia, tratamento ou vacina para controlar e proteger contra a infecção pelo Zika Vírus.

Utilizamos o Zika IgG/IgM Teste, que é um teste rápido imunocromatográfico, e pode detectar anticorpos do Zika Vírus. Possui uma sensibilidade de 97,4% e especificidade de 96,3%.

Um resultado não reagente indica ausência de anticorpos detectáveis para o vírus Zika. Entretanto, um teste com resultado não reagente não previne a possibilidade de exposição ou infecção pelo vírus da Zika. Um resultado não reagente pode ocorrer se a quantidade de anticorpos contra o vírus da Zika presente na amostra estiver abaixo do limite de detecção do teste, ou os anticorpos que são detectados não estiverem presentes durante o estágio inicial da doença na amostra coletada.

Os anticorpos IgM podem estar presentes a partir do 5˚ dia após o início dos sintomas podendo denotar infecção aguda. Amostras testadas positivas para o vírus dengue, podem também apresentar positividade para o Zika Vírus.

O resultado deste teste não deve ser utilizado de forma isolada para diagnóstico da infecção pelo Zika Vírus. Resultados positivos devem ser correlacionados com dados clínicos e epidemiológicos. É recomendada a repetição do exame em nova amostra no período de 7 a 10 dias e comparação com o primeiro resultado. Avaliação conjunta com outros marcadores laboratoriais deve ser realizada, podendo encontrar um quadro de leucopenia, trombocitopenia e ligeira elevação da desidrogenase láctica sérica, gamaglutamiltransferase e de marcadores de atividade inflamatória (proteína C reativa, fibrinogênio e ferritina).

Os resultados obtidos com o teste devem ser interpretados em conjunto com outros procedimentos e achados clínicos.