Laboratório São Paulo

Você está em: Página Inicial | Notícia


27 de novembro de 2014

Medicina do viajante



O planejamento de uma viagem – seja de férias, negócios ou estudos – deve sempre ir além do passaporte, passagens aéreas, guias de idiomas e outros itens do gênero. É preciso pensar na saúde do viajante.

“Há detalhes que, apesar de simples, podem valer uma vida”, adverte o dr. Gustavo Henrique Johanson – infectologista especializado em Medicina do Viajante – e médico do corpo clínico do Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE).


Cuidados ao viajar


Antes

Ao planejar o roteiro deve-se verificar:
– O clima do local de destino;
– Se há focos de doenças contagiosas;
– Qual é a culinária típica (para prevenir alergias alimentares, por exemplo);
– Quais as condições de saneamento;
– Quais os principais costumes locais.

“A melhor maneira de o viajante prevenir-se contra doenças é com vacinas”, ensina o dr. Johanson. Manter a saúde em dia com checkups anuais é outra boa dica, principalmente para executivos que podem ser enviados a diversas partes do mundo sem muito tempo de aviso prévio. “É sempre bom ter um médico de confiança que possa alertar sobre os cuidados a serem tomados em determinadas regiões”, aconselha o infectologista.


Durante

É fundamental cuidar da dieta: não comer alimentos de procedência duvidosa, sempre beber água mineral e evitar qualquer excesso. “Os exageros devem ser evitados não só para preservar a saúde, mas também a integridade física e os costumes locais”, afirma o médico.

Os viajantes devem evitar ainda:
– Contato com mosquitos em regiões tropicais;
– Contato com animais sem dono, como cachorros;
– Ingerir comidas vendidas nas ruas;
– Excesso de bebidas alcoólicas;
– Entrar em mar ou lagos que tenham sinalização de perigo.


Depois

Dependendo do lugar escolhido para a viagem é preciso estar alerta a sintomas como febre, após o retorno. “Se o destino foi um local em que a malária é comum, qualquer episódio de febre até um ano depois do regresso merece atenção especial”, alerta o infectologista.


Países com epidemias

Epidemias e surtos de algumas doenças preocupam infectologistas e turistas. Por exemplo: na Copa do Mundo de Futebol, na Alemanha (2006), ocorreu um surto de sarampo no país-sede. Os turistas que não tinham certeza de serem vacinados contra o sarampo foram aconselhados a tomar a vacina antes de embarcar.

Outra epidemia que virou manchete por diversas semanas foi a de gripe aviária na Ásia. Desde o surgimento da doença – em 2003 – já foram 258 casos de infecção e 154 vítimas fatais. A recomendação médica para esse caso era evitar os locais com criação de ave, além de tomar a vacina de gripe, apesar de se saber que não é muito eficaz para esse problema específico.

“Nos casos de surtos e epidemias, se a pessoa tiver a possibilidade de adiar a viagem ou trocar de destino é o mais recomendado”, explica o infectologista. Se não houver essa possibilidade, o jeito é se prevenir.

Conheça os principais focos de doenças contagiosas no mundo e saiba como se prevenir:


Malária

Doença transmitida por mosquitos, pode ser fatal. É um dos maiores problemas de saúde pública mundial, responsável por 300 a 500 milhões de infecções no mundo a cada ano.

Regiões que apresentam riscos
– África: exceto Líbia e Tunísia;
– América Central, inclusive Haiti e República Dominicana;
– América do Sul: exceto Uruguai e Chile;
– Ásia: exceto Mongólia e Cazaquistão;
– Europa Oriental;
– Pacífico Sul.

Como prevenir
Não há vacina disponível. A saída é evitar o contato com mosquitos e utilizar repelentes, além de medicamentos preventivos, em alguns casos.


Febre Amarela

Doença transmitida por mosquitos, que pode evoluir para febre hemorrágica e hepatite grave. É encontrada somente em regiões de mata selvagem. No Brasil não há casos urbanos há mais de 50 anos.

Regiões que apresentam riscos
– América do Sul: Argentina, Bolívia, Brasil, Colômbia, Equador, Guiana, Guiana Francesa, Paraguai, Peru, Suriname e Venezuela;
– América Central: Panamá, Trinidad e Tobago;
– África: países da região do Sub-Saara.

Como prevenir
– Tomar a vacina 10 dias antes de viajar*;
– Evitar o contato com mosquitos.

* Há países que exigem o certificado de vacinação para autorizar a entrada dos turistas.


Meningite

Doença causada por vírus, bactérias, fungos e protozoários que atacam o sistema nervoso central. As mais temidas são as bacterianas, em especial a meningocócica. Pode ser fatal se não detectada e tratada a tempo.

Regiões que apresentam riscos
África: região do sub-Saara e alguns países como Angola, Congo e Somália que apresentaram focos de epidemia recentemente.

Como prevenir
Tomar a vacina meningocócica.


Febre Tifoide

Doença transmitida por uma bactéria proveniente de alimentação ou água contaminada. Está diretamente associada a regiões em que não há saneamento básico. São estimados cerca de 22 milhões de casos no mundo anualmente.

Regiões que apresentam epidemias
Subcontinente Indiano
– Ásia;
– África;
– Caribe;
– América Central;
– América do Sul;

Como prevenir
– Evitar alimentos crus e água de procedência duvidosa;
– Existe uma vacina, indicada em casos específicos.


Hepatite A

Adquirida pelo contato com água e alimentos contaminados.

Regiões que apresentam grandes chances de contágio
– América Central;
– América do Sul;
– Ásia;
– Europa.

Como prevenir
– Tomar a vacina específica para esse tipo de hepatite;
– Consumir água mineral de boa procedência;
– Evitar alimentos crus e de procedência duvidosa.


Hepatite B

Doença transmissível pelo contato com sangue e secreções humanas infectadas. A principal forma de transmissão é a via sexual. A infecção, em alguns casos, pode evoluir para hepatite crônica, que pode causar cirrose e câncer no fígado.

Regiões que apresentam grandes chances de contágio

O risco de viajantes contraírem hepatite B, em geral, é baixo, exceto nos casos em que há contato sexual ou com sangue de pessoas infectadas. “O alerta vai principalmente para jovens e solteiros, para que nunca mantenham relações sexuais sem preservativo”, adverte o infectologista.

Como prevenir
– Tomar a vacina;
– Praticar sexo seguro.


Gripe Aviária

Doença transmitida por vírus que infecta as aves. É altamente letal e de rápida proliferação no contato entre aves doentes e humanos. Tornou-se uma epidemia na Ásia em 2003. “Vale lembrar que não há motivo para pânico porque a infecção não ocorre entre humanos, apenas nos que tiveram contato com aves”, explica o médico.

Regiões que apresentam epidemias
– Sudeste Asiático;
– China.

Regiões que apresentaram casos da doença
– África;
– Leste Europeu.

Como prevenir
– Evitar o contato com aves;
– Não comer aves ou derivados de procedência duvidosa;
– Tomar vacina contra gripe (que não apresenta proteção 100% eficaz nesse caso).

Referências:
– www.einstein.br. Medicina do viajante, Nov. 2009. Hospital Israelita Albert Einstein. Disponível em http://www.einstein.br/einstein-saude/proteja-se/Paginas/medicina-do-viajante.aspx Acesso em 27 de Nov. de 2014.